Skip links

Cuidado a concorrência está à espreita!

O marketing é a co-criação de valor, onde o consumidor está no centro das atenções da empresa ou marca. Assim sendo, existem diversas estratégias com o objetivo de angariação de consumidores e retenção dos clientes, de uma forma rentável e lucrativa.

De acordo com um estudo da Harvard Business Review, os clientes que estão totalmente conectados são 52% mais valiosos do que os clientes altamente satisfeitos.

Sabia que o custo de aquisição de um novo cliente é 6 a 7 vezes superior aos custos da retenção de um cliente antigo?

O marketing relacional cria laços com os clientes, como o próprio nome indica, cria uma relação e faz como que o consumidor desenvolva com carinho especial pela mesma, impulsionando o Word of Mouth (“Passa Palavra”) positivo, que é a melhor publicidade que uma marca pode ter, pois é o tipo de publicidade com maior impacto, na qual os consumidores acreditam mais e é gratuita!

Sabia que…

clientes com ligações emocionais com a marca compram 90% mais frequentemente artigos da marca

…consumidores com um engagement elevado com a marca gastam 60% mais dinheiro por transação

… e também tem 5 vezes mais probabilidade de indicar essa marca, como a única na qual eles fariam uma compra futura?

Pois esse cliente, tornou-se leal, irá perdoar, mais facilmente, possíveis falhas da marca e não a irá trocar por nada, defendendo-o sempre de tudo e todos (love mark).

Assim sendo, surgem as estratégias de marketing relacional com o objetivo, não de fidelizar o cliente, mas sim de o tornar leal à marca – colocando-a no top of mind e desenvolvendo um sentimento forte pela mesma (love mark).

O marketing relacional cria laços com os clientes, como o próprio nome indica, cria uma relação e faz como que o consumidor desenvolva com carinho especial pela mesma.

1. Personalização de Serviços e Produtos

Para fazer com que o consumidor se sinta especial devemos:

  • Dedicar tempo e atenção ao consumidor, respondendo a comentários, em conversas privadas, por e-mail, entre outros
  • Tratar o cliente sempre pelo nome, pois ele é especial e não apenas mais um!
  • Criar produtos e serviços personalizáveis
  • Segmentar o nosso público-alvo e criar serviços/produtos direcionados a cada um dos segmentos

Sabia que 68% dos consumidores que veem valor pessoal, estão dispostos a pagar mais pelo serviço ou produto?

Sabia também que 71% dos compradores que veem um valor pessoal no produto irão comprá-lo?

2. Criar um programa de lealdade

Para agradecer e recompensar o cliente pela sua preferência e lealdade à marca, estimulando a mesma, a marca pode recorrer as seguintes estratégias:

  • Traduzir o dinheiro investido pelo cliente em pontos que podem ser descontados em compras futuras
  • Oferecer ou dar descontos consoante a frequência com que ele efetua compras
  • Oferecer descontos com base em históricos de comporás ou prémios base em itens específicos nos quais o consumidor tem interesse (tendo em conta o seu histórico de compras)

3. CRM

Para recorrer ao histórico de clientes e conseguir dar asas às estratégias do ponto anterior, terá que ter acesso ao Customer Relationship Management (CRM). Esse software permite traçar o perfil do consumidor, rastrear os seus hábitos e fornecer outos dados valiosos que lhe permitirão criar estratégias valiosas para a sua empresa.

A Buzina – Negócios Digitais criou um CRM personalizável e adaptável às suas necessidades, que lhe poupa tempo e dinheiro, permite-lhe analisar os dados anteriormente referidos e muito mais. Ficou curioso? Então, aceda à nossa landing page onde pode descarregar a nossa brochura e contactar-nos para mais informações, assim como uma demonstração gratuita! De que está à espera? 😉

Leu até aqui?

Parabéns! Chegou ao fim da primeira parte deste artigo!

O Marketing Relacional pode ser encarado como a viagem do Presidente Marcelo a Angola, mas… não se preocupe que não o deixaremos tanto tempo à espera! Brevemente partilharemos mais algumas dicas consigo!

Deixar um comentário:

Name*

Website

Comentar