fbpx
Skip links

a transformação digital começa aqui!

Portugal 2030

get ready!
Consultoria transformação digital do seu negócio

é o agora ou nunca!

Com o novo quadro comunitário Portugal 2030, as empresas têm ao seu dispor excelentes métodos e instrumentos para iniciarem a sua transformação digital. Nesse sentido, e de acordo com as Orientações Europeias, a aposta será na digitalização dos negócios e na capacitação e inclusão digital das pessoas.

o que é Portugal 2030?

O Portugal 2030 materializa o Acordo de Parceria a estabelecer entre Portugal e a Comissão Europeia, fixando os grandes objetivos estratégicos (entre eles a transformação digital) para a aplicação do montante global de 24.182 M€. Dessa forma, a programação gira em torno de 5 objetivos estratégicos da União Europeia, a saber: uma Europa mais inteligente, mais verde, mais conectada, mais social e mais próxima dos cidadãos.

conheça alguns dos organismos que prometem ser uma bolsa de oxigénio às empresas portuguesas:

E. M. Recuperar Portugal

No campo de ação da Estrutura de Missão Recuperar Portugal, surge um programa de aplicação nacional, com um período de execução excecional até 2026, que visa implementar um conjunto de reformas e de investimentos destinados a repor o crescimento económico sustentado.
O Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) reforça, assim, o objetivo de convergência de Portugal com a Europa ao longo da próxima década e foca-se em 3 indicadores relevantes, a saber: Resiliência, Transição Climática e Transição Digital.
Poderá consultar mais informação sobre os outros indicadores na página da Estrutura de Missão Recuperar Portugal.

E. M. Portugal Digital

Sob o mesmo ponto de vista, a Estrutura de Missão Portugal Digital baseia a sua estratégia em 3 Pilares, a saber: Capacitação e Inclusão Digital das Pessoas; Transformação Digital do Tecido Empresarial; e Digitalização do Estado.
Entre os programas da transformação digital das empresas destacam-se as medidas de Capacitação Digital das PMEs no Interior (+CO3SO Digital) e o desenvolvimento de Zonas Livres Tecnológicas (ZLT).
Desde a capacitação em tecnologias digitais, ao desenvolvimento do comércio digital, à Consultoria/Coaching para ajustar os modelos de negócio e o apoio ao Empreendedorismo, o investimento prevê apoiar mais de 50.000 PME.

E. M. Portugal Digital

Sob o mesmo ponto de vista, a Estrutura de Missão Portugal Digital baseia a sua estratégia em 3 Pilares, a saber: Capacitação e Inclusão Digital das Pessoas; Transformação Digital do Tecido Empresarial; e Digitalização do Estado.
Entre os programas da transformação digital das empresas destacam-se as medidas de Capacitação Digital das PMEs no Interior (+CO3SO Digital) e o desenvolvimento de Zonas Livres Tecnológicas (ZLT).
Desde a capacitação em tecnologias digitais, ao desenvolvimento do comércio digital, à Consultoria/Coaching para ajustar os modelos de negócio e o apoio ao Empreendedorismo, o investimento prevê apoiar mais de 50.000 PME.

como podemos ajudar?

identificar as suas necessidades

elaborar a sua candidatura

executar e acompanhar o projeto

projetos a decorrer

projetos financiados de formação-ação

(ainda a decorrer – Quadro Portugal 2020)

Formação-Ação Economia Digital

Primeiramente os Projetos Conjuntos de Formação-Ação – Economia Digital consistem na inovação digital do modelo de negócio das empresas, para reforço do seu posicionamento e notoriedade à escala global. Sem dúvida que estes projetos estão focados sobretudo para a transição digital.

Linhas orientadoras, a saber:

Desde logo que as principais linhas orientadoras focam a transição digital, como por exemplo:

  • Com o desenvolvimento de redes modernas de distribuição e colocação de bens e serviços no mercado;
  • Através da criação e/ou adequação dos modelos de negócios com vista à inserção da PME na economia digital;
  • Dinamizando a presença na web com a introdução de sistemas de informação aplicados a novos métodos de distribuição e logística;
  • Com a fusão de tecnologias e pela integração de sistemas físicos e digitais;
  • E, por último, com a utilização de ferramentas sofisticadas de marketing para a ampliação da presença no mercado.

Público-alvo

Com efeito este programa está direcionado para micro, pequenas e médias empresas produtoras de bens e serviços transacionáveis e/ou internacionalizáveis, ou que contribuam para a cadeia de valor dos mesmos.

Condições de elegibilidade

Antes de mais, para participar neste projeto terá que cumprir uma série de condições iniciais, como por exemplo:

  1. Situação regularizada perante a administração fiscal e a segurança social;
  2. Não ter salários em atraso;
  3. Apresentar certificados PME atualizado, emitido pela IAPMEI;
  4. Dispor de contabilidade organizada nos termos da legislação aplicável;
  5. Não ser uma empresa em dificuldade, detendo uma situação económico-financeira equilibrada (situação líquida positiva);
  6. Proceder ao registo da empresa no Balcão 2020;
  7. Assegurar o pagamento valor do projeto a suportar pela empresa (10% do valor total);
  8. Garantir a entrega à equipa do projeto de toda a documentação necessária;
  9. Por fim, em caso de desistência no decurso da implementação do projeto, garantir a devolução da totalidade das despesas suportadas pela AEP com a intervenção na empresa até à data da formalização da desistência.
Gestão da Inovação - Projetos financiados Formação Ação

Com o propósito de capacitar as PME em competências de gestão da inovação, surgem os Projetos Conjuntos de Formação-Ação – Gestão da Inovação. Do mesmo modo é objetivo destes projetos estimular o desenvolvimento interno, a cooperação empresarial e a capacidade de resposta no mercado global.

Linhas orientadoras a saber:

  • Introdução de novos métodos ou novas filosofias de organização do trabalho;
  • Aplicação de métodos de estímulo à criatividade;
  • Atividades de design thinking;
  • Construção de planos de inovação;
  • Projetos de desenvolvimento de novos produtos/serviços/projetos empresariais;
  • Fomento do intraempreendedorismo;
  • Estímulo à cooperação interempresarial;
  • Redesenho e melhorias de layout;
  • E, por fim, ações de benchmarking.

Acima de tudo, pretende-se alcançar o desenvolvimento e implementação de soluções novas e/ou de soluções melhoradas ao nível de processos, produtos, serviços, organização ou marketing. Por outro lado, também é objetivo atingir outros níveis de competitividade, desempenho e conhecimento e reforço das capacidades de gestão, estudos e projetos.

Público-alvo

Com efeito este programa está dirigido para micro, pequenas e médias empresas produtoras de bens e serviços transacionáveis e/ou internacionalizáveis, ou que contribuam para a cadeia de valor dos mesmos.

Condições de elegibilidade

  1. Situação regularizada perante a administração fiscal e a segurança social;
  2. Não ter salários em atraso;
  3. Apresentar certificados PME atualizado, emitido pela IAPMEI;
  4. Dispor de contabilidade organizada nos termos da legislação aplicável;
  5. Não ser uma empresa em dificuldade, detendo uma situação económico-financeira equilibrada (situação líquida positiva);
  6. Proceder ao registo da empresa no Balcão 2020;
  7. Assegurar o pagamento valor do projeto a suportar pela empresa (10% do valor total);
  8. Garantir a entrega à equipa do projeto de toda a documentação necessária;
  9. E, por último, em caso de desistência no decurso da implementação do projeto, garantir a devolução da totalidade das despesas suportadas pela AEP com a intervenção na empresa até à data da formalização da desistência

candidaturas abertas

avisos

De que forma podemos colaborar consigo? Assim, de forma simples: identificamos as candidaturas em aberto que se adequam ao seu negócio e apoiamos na elaboração e no acompanhamento da mesma. Acima de tudo o nosso propósito é apenas um: ajudar a alavancar e a reposicionar a sua empresa/organização através da transformação digital enquadrada no Portugal 2030.

banner internacionalização via e-commerce PRR

O aviso de abertura, publicado na página do Plano de Recuperação e Resiliência, destina-se a todas as PME de todo o território nacional, incluindo as regiões autónomas da Madeira e dos Açores.

Condições de elegibilidade, a saber:

  • Em primeiro lugar, deverá ter o estatuto de PME comprovada através da Certificação Eletrónica do IAPMEI.
  • Da mesma forma deverá possuir situação líquida positiva no exercício fiscal completo anterior ao ano da candidatura.
  • Por último, deverá realizar um Diagnóstico E-commerce prévio, com uma pontuação final superior a 20 pontos que pode ser realizado no website Portugal Exporta.

Taxa de Financiamento

Este projeto assume a forma de incentivo não reembolsável, calculado através da aplicação às despesas elegíveis de uma taxa de 50% (a fundo perdido).

Despesas Elegíveis

Nesse sentido, poderá questionar-se que despesas podem ser consideradas elegíveis. Por exemplo:

    • a) aquisições de equipamentos e software
    • b) despesas relacionadas com a aquisição de serviços a terceiros relativas a:
      • Desenho e implementação de estratégias aplicadas a canais digitais
      • User-Centered Design (UX)
      • Desenho, implementação, otimização de plataformas de Web Content Management (WCM), Campaign Management, Customer Relationship Management (CRM) e E-commerce
      • Criação de lojas próprias online, inscrição e otimização da presença em marketplaces eletrónicos
      • Search Engine Optimization (SEO) e Search Engine Advertising (SEA)
      • Social Media Marketing (redes sociais)
      • Content Marketing: conteúdos digitais (como por exemplo texto curto, texto longo, imagens, animações ou vídeos)
      • Display Advertising: colocação de anúncios à oferta da empresa em sítios de terceiros
      • Mobile Marketing:  nomeadamente smartphones e tablets
      • Business Inteligence e Web Analytics: recolha, tratamento, análise e visualização de grandes volumes de dados
    • c) Custos com pessoal técnico diretamente afeto à implementação do projeto, com competências em e-commerce e marketing digita (nível mínimo de qualificação VI do QNQ)

Duração do Projeto

Por fim, os projetos têm uma duração máxima de doze meses a contar da data de assinatura do Termo de Aceitação.

Então, contamos consigo? Certamente já nos acompanha, por isso esteja atento/a às nossas notícias no que diz respeito a novas candidaturas do PRR e do Portugal 2030!

Vamos conversar?
vamos!