fbpx
Skip links

quer tornar a sua empresa mais competitiva e eficiente?

nós ajudamos!
Projetos Financiados Portugal 2020 Consultoria

esta é a oportunidade certa de tirar da gaveta aquele projeto!

Com o novo quadro comunitário Portugal2020, as empresas têm ao seu dispor excelentes métodos e instrumentos para estímular e melhorar a sua qualificação e competitividade.

o que é Portugal 2020?

Trata-se do ACORDO DE PARCERIA adotado entre Portugal e a Comissão Europeia, que reúne a atuação dos 5 Fundos Europeus Estruturais e de Investimento – FEDER, Fundo de Coesão, FSE, FEADER e FEAMP. Nesse acordo, definem-se os princípios de programação que consagram a política de desenvolvimento económico, social e territorial para promover, em Portugal, entre 2014 e 2020.

programa de apoio à produção nacional

Antes de tudo: esta nova versão do SI2E, intitulada por Programa Nacional de Apoio à Produção Nacional, tem como objetivo apoiar o investimento de micro e pequenas empresas já em atividade. Sobretudo nos Setores da Indústria e Turismo.

Avisos Abertos

Com efeito, encontram-se abertas as candidaturas ao Programa de Apoio à Produção Nacional, até 26-02-2021 para Norte e Algarve e até 15-02-2021 para o Alentejo. Por enquanto, encontram-se abertos os avisos no Norte, Alentejo e Algarve. A saber:

    • Área Metropolitana do Porto AVISO NORTE-D7-2021-05
    • CIM Alto Tâmega – AVISO NORTE-D7-2021-04
    • CIM Ave – AVISO NORTE-D7-2021-03
    • CIM Terras de Trás-os-Montes – AVISO NORTE-D7-2021-02
    • CIM Tâmega e Sousa – AVISO NORTE-D7-2021-01
    • Apenas para a Indústria
      • ALGARVE2020 – ALG-27-2020-50
    • Apenas para a Indústria, Hotelaria e Restauração
      • CIM Alentejo Central – ALT20‐D7‐2021‐04
      • CIM Baixo Alentejo – ALT20‐D7‐2021‐05
      • CIM Lezíria do Tejo – ALT20‐D7‐2021‐06
      • CIM Alentejo Litoral – ALT20‐D7‐2021‐07

Uma vez que todos os avisos têm as suas vicissitudes, aconselhamos que consultem as informações oficiais nos sites dos Programas Operacionais, entre eles: norte2020.pt; centro2020.pt; alentejo2020.pt; algarve2020.pt.

Beneficiários

Os beneficiários dos apoios são as micro e as pequenas, embora os CAE variem conforme os diferentes avisos. Por exemplo:

    • Secção B – Indústrias extrativas (CAE 05 a 09), para todas as regiões.
    • Secção C – Indústrias Transformadoras (CAE 10 a 33), para todas as regiões.
    • Outras atividades que acrescentam valor, contribuindo para estimular a produção nacional, reduzindo a dependência face ao exterior e permitindo a recuperação do turismo (CAE 47, 55, 56, 79), apenas para a região Norte.
    • CAE das divisões 55 – Alojamento e 56 – Restauração e similares, apenas para o Alentejo.

Requisitos

Para além dos requisitos descritos nos avisos do Programa de Apoio à Produção Nacional, deverão ser cumpridos também os seguintes:

    • Antes de mais, terem no mínimo um funcionário afeto aos quadros da empresa no ano pré-projeto, evidenciado com descontos para a segurança social (média anual);
    • Deverão assegurar as fontes de financiamento do projeto, com um mínimo de 10% de Capitais Próprios;
    • Apresentar os licenciamentos necessários ao desenvolvimento da atividade (por exemplo: licenças de funcionamento, licenciamentos comerciais, industriais, administrativas), até à apresentação do termo de aceitação (TA);
    • Bem como, apresentarem resultados positivos, antes de impostos, no último exercício económico declarado para efeitos fiscais e comprovado pela declaração da IES do ano;
    • E por último, manterem afetos à atividade da empresa os ativos respeitantes ao investimento apoiado, bem como a localização geográfica definida no projeto, durante o período de vigência do contrato de concessão de incentivos e, no mínimo, durante três anos após a conclusão do projeto.

Taxa de Incentivo: Programa de Apoio à Produção Nacional

O apoio do Programa de Apoio à Produção Nacional é de natureza não reembolsável (a fundo perdido). É apurado, com base no investimento elegível aprovado, através da aplicação de uma taxa base de 40% para os investimentos localizados em territórios do interior ou de 30% para os investimentos localizados nos restantes territórios.

Para além disso, à referida taxa base acrescem as seguintes majorações, até um máximo de 20% (de acordo com o definido no aviso).

Investimento

As candidaturas ao Programa de Apoio à Produção Nacional deverão apresentar uma despesa elegível total, a saber:

    • Até 235 mil euros.
    • Até 100 mil euros para as CAE de Turismo e Comércio (CAE 47, 55, 56, 79). Limitação apenas na região Norte.

Deverão portanto apesentar um mínimo de despesa elegível total de 20 mil euros, e uma duração máxima do projeto de 12 meses, contados a partir da data de início da sua realização, podendo ser prorrogado por mais 6 meses.

Despesas Elegíveis

Com efeito, são elegíveis as seguintes categorias de despesas, realizadas logo após a submissão da candidatura:

    • Custos de aquisição de máquinas, equipamentos, respetiva instalação e transporte;
    • Custos de aquisição de equipamentos informáticos, incluindo o software necessário ao seu funcionamento;
    • Software standard ou desenvolvido especificamente para a atividade da empresa;
    • Custos de conceção e registo associados à criação de novas marcas ou coleções;
    • Custos iniciais associados à domiciliação de aplicações, adesão inicial a plataformas eletrónicas, subscrição inicial de aplicações em regimes de «software as a service», criação e publicação inicial de novos conteúdos eletrónicos, bem como a inclusão ou catalogação em diretórios ou motores de busca;
    • Material circulante diretamente relacionado com o exercício da atividade, até ao limite máximo elegível de 40 mil euros.
    • Estudos, diagnósticos, auditorias, Planos de marketing, até ao limite máximo elegível de 5 mil euros.
    • Serviços tecnológicos/digitais, sistemas de qualidade e de certificação, até ao limite máximo elegível de 50 mil euros.
    • Obras de remodelação ou adaptação para instalação de equipamentos produtivos financiados, no âmbito deste projeto, até ao limite de 60% do investimento total elegível apurado.

Prazo das Candidaturas

Por último, alertamos que os prazos das candidaturas terminam a 26/02/2021.

Podemos ajudá-lo na elaboração e apresentação da sua candidatura, assim como na avaliação da elegibilidade da sua empresa e das despesas que pretende apresentar.

buzine

programa adaptar 2.0

Objetivo do programa “Adaptar” apoiar as empresas no esforço de adaptação em:

 

Ajustar os métodos de organização do trabalho e de relacionamento com clientes e fornecedores.
Garantir o cumprimento das normas estabelecidas e das recomendações das autoridades competentes.

    • Aquisição de EPIs (máscaras, luvas, viseiras…) necessários para um período máximo de 6 meses para utilização pelos trabalhadores e clientes em espaços com atendimento ao público;
    • Aquisição e instalação de equipamentos de higienização e de dispensa automática de desinfetantes, bem como respetivos consumíveis, para um período máximo de 6 meses;
    • Contratação de serviços de desinfeção das instalações por um período máximo de 6 meses;
      Aquisição e instalação de dispositivos de pagamento automático;
    • Custos iniciais associados à domiciliação de aplicações, adesão inicial a plataformas eletrónicas, subscrição inicial de aplicações em regimes de “software as a service”, criação e publicação inicial de novos conteúdos eletrónicos;
    • Reorganização e adaptação de locais de trabalho e de lay-out de espaços às orientações e boas práticas do atual contexto.  Como por exemplo: instalação de portas automáticas, instalação de soluções de iluminação por sensor, instalação de dispensadores por sensor nas casas de banho, criação de áreas de contingência, entre outros;
    • Isolamento físico de espaços de produção ou de venda ou prestação de serviços, designadamente, instalação de divisórias entre equipamentos, células de produção, secretárias, postos ou balcões de atendimento;
    • Aquisição e instalação de outros dispositivos de controlo e distanciamento físico;
    • Custos com a aquisição e colocação de informação e orientação aos colaboradores e ao público;
    • Despesas com a intervenção de contabilistas certificados ou revisores oficiais de contas, na validação da despesa dos pedidos de pagamento.

    • Custos com a reorganização e adaptação de locais de trabalho e/ou alterações de layout;
    • Aquisição e instalação de equipamentos de higienização e de dispensa automática de desinfetantes;
    • Aquisição e instalação de dispositivos de pagamento automático, incluindo os que utilizem tecnologia contactless;
    • Aquisição e instalação de outros dispositivos de controlo e distanciamento físico;
    • Custos com a aquisição e colocação de informação e orientação aos colaboradores e ao público;
    • Contratação de serviços de desinfeção das instalações;
    • Aquisição de serviços de consultoria especializada para o redesenho do lay-out das instalações e para a elaboração de planos de contingência empresarial e manuais de boas práticas;
    • Aquisição de serviços de consultoria especializada para a adaptação do modelo de negócio aos novos desafios do contexto subsequente à pandemia;
    • Custos iniciais associados à domiciliação de aplicações, adesão inicial a plataformas eletrónicas, subscrição inicial de aplicações em regimes de «software as a service», criação e publicação inicial de novos conteúdos eletrónicos;
    • Despesas com a intervenção de contabilistas certificados ou revisores oficiais de contas, na validação da despesa dos pedidos de pagamento.

Podemos ajudá-lo na elaboração e apresentação da sua candidatura, assim como na avaliação da elegibilidade da sua empresa e das despesas que pretende apresentar.

adapte-se

projetos formação-ação

Projetos Financiados Portugal 2020 Economia Digital

Os Projetos Conjuntos de Formação-Ação – Economia Digital consistem na inovação digital do modelo de negócio das empresas, para reforço do seu posicionamento e notoriedade à escala global.

Linhas orientadoras

  • Desenvolvimento de redes modernas de distribuição e colocação de bens e serviços no mercado;
  • Criação e/ou adequação dos modelos de negócios com vista à inserção da PME na economia digital;
  • Presença na web;
  • introdução de sistemas de informação aplicados a novos métodos de distribuição e logística;
  • Fusão de tecnologias e pela integração de sistemas físicos e digitais;
  • Utilização de ferramentas sofisticadas de marketing para a ampliação da presença no mercado.

Público-alvo

Micro, pequenas e médias empresas produtoras de bens e serviços transacionáveis e/ou internacionalizáveis, ou que contribuam para a cadeia de valor dos mesmos.

Condições de elegibilidade

  1. Situação regularizada perante a administração fiscal e a segurança social;
  2. Não ter salários em atraso;
  3. Apresentar certificados PME atualizado, emitido pela IAPMEI;
  4. Dispor de contabilidade organizada nos termos da legislação aplicável;
  5. Não ser uma empresa em dificuldade, detendo uma situação económico-financeira equilibrada (situação líquida positiva);
  6. Proceder ao registo da empresa no Balcão 2020;
  7. Garantir o pagamento valor do projeto a suportar pela empresa (10% do valor total);
  8. Garantir a entrega à equipa do projeto de toda a documentação necessária;
  9. Em caso de desistência no decurso da implementação do projeto, garantir a devolução da totalidade das despesas suportadas pela AEP com a intervenção na empresa até à data da formalização da desistência.
Projetos Financiados Portugal 2020 Gestão da Inovação

Os Projetos Conjuntos de Formação-Ação – Gestão da Inovação pretende capacitar as PME em competências de gestão da inovação que estimulem o desenvolvimento interno e a cooperação empresarial e a capacidade de resposta no mercado global.

Linhas orientadoras

  • Introdução de novos métodos ou novas filosofias de organização do trabalho;
  • Aplicação de métodos de estímulo à criatividade;
  • Atividades de design thinking;
  • Construção de planos de inovação;
  • Projetos de desenvolvimento de novos produtos/serviços/projetos empresariais;
  • Fomento do intraempreendedorismo;
  • Estímulo à cooperação interempresarial;
  • Redesenho e melhorias de layout;
  • Ações de benchmarking.

Pretende-se alcançar o desenvolvimento e implementação de soluções novas e/ou de soluções melhoradas ao nível de processos, produtos, serviços, organização ou marketing. Para além disso, ganhos de competitividade, desempenho e conhecimento e reforço das capacidades de gestão, estudos e projetos. Por último, a concretização de inovação organizacional por via da aplicação de um novo método organizacional na prática do negócio ou na organização do local de trabalho.

Público-alvo

Micro, pequenas e médias empresas produtoras de bens e serviços transacionáveis e/ou internacionalizáveis, ou que contribuam para a cadeia de valor dos mesmos.

Condições de elegibilidade

  1. Situação regularizada perante a administração fiscal e a segurança social;
  2. Não ter salários em atraso;
  3. Apresentar certificados PME atualizado, emitido pela IAPMEI;
  4. Dispor de contabilidade organizada nos termos da legislação aplicável;
  5. Não ser uma empresa em dificuldade, detendo uma situação económico-financeira equilibrada (situação líquida positiva);
  6. Proceder ao registo da empresa no Balcão 2020;
  7. Garantir o pagamento valor do projeto a suportar pela empresa (10% do valor total);
  8. Garantir a entrega à equipa do projeto de toda a documentação necessária;
  9. Em caso de desistência no decurso da implementação do projeto, garantir a devolução da totalidade das despesas suportadas pela AEP com a intervenção na empresa até à data da formalização da desistência

identificar necessidades de investimento

procura de soluções de financiamento

execução e acompanhamento

sistemas de incentivo

Projetos Financiados Portugal 2020 Sistema de Incentivo Internacionalização

SI Internacionalização – Novos Exportadores consiste em alargar a base exportadora aumentando o número de novas empresas exportadoras, ou incrementando o volume de vendas internacionais das empresas que, já exportando, o fazem ainda de forma incipiente ou pontual.

Condição específica

Taxa de Exportação até 15% em 2017

Principais Investimentos Elegíveis

    • Conhecimentos de mercados externos
    • Presença na web, através da economia digital
    • Desenvolvimento e promoção em mercados internacionais
    • A prospeção e presença em mercados internacionais
    • Marketing internacional
    • Novos métodos de organização nas práticas comerciais ou nas relações externas
    • Certificações específicas para os mercados externos

Natureza, taxa e limites de incentivo

O incentivo a conceder assume a forma de incentivo não reembolsável de 45% das despesas elegíveis. O limite mínimo de despesa elegível total por projeto é de 25 mil euros.

Projetos Financiados Portugal 2020 Sistema de Incentivo Qualificação

SI Qualificação pretende promover a sustentabilidade das PME visando ações de qualificação em domínios imateriais com o objetivo de reforçar a competitividade e a sua capacidade de resposta no mercado global.

Principais Investimentos Elegíveis

    • Ações de benchmarking, diagnóstico e planeamento
    • Presença na web (economia digital)
    • Desenvolvimento de redes modernas de distribuição e colocação de bens e serviços no mercado através das TIC
    • Economia Digital – Marketing inbound e outbond
    • Catálogos digitais
    • Conceção e registo de novas marcas ou coleções
    • Desenvolvimento e engenharia de produtos, serviços e processos
    • Propriedade industrial para obtenção, validação e defesa de patentes
    • Certificações de qualidade
    • Estudos, consultoria específica e auditorias
    • Métodos de distribuição e logística
    • Contratação de quadros técnicos
    • Ecoinovação

Natureza, taxa e limites de incentivo

O incentivo a conceder assume a forma de incentivo não reembolsável de 45% das despesas elegíveis. O limite mínimo de despesa elegível total por projeto é de 25 mil euros.

Ver aviso

Projetos Financiados Portugal 2020 Sistema de Incentivo Inovação Produtiva

SI Inovação tem como objetivo principal apoiar projetos de inovação empresarial promovidos por empresas, promovendo o reforço da inovação, da competitividade das empresas, da sustentabilidade e da qualidade do emprego.

Principais Investimentos Elegíveis

    • Máquinas e equipamentos
    • Equipamentos informáticos, incluindo software
    • Transferência de tecnologia através da aquisição de direitos de patentes e licenças
    • Serviços de engenharia
    • Estudos, diagnósticos, auditorias, planos de marketing e projetos de arquitetura
    • Construção de edifícios e obras de remodelação (para Turismo e Indústria)
    • Material circulante conexo com a atividade turística (para Turismo)
    • Formação de recursos humanos.

Natureza, limites e taxas de incentivo

O incentivo a conceder assume a forma de incentivo reembolsável, sem pagamento de juros ou outros encargos (prazo total de 8 anos e 10 anos para o turismo, com 2 de carência) com possível atribuição de isenção de reembolso em função da avaliação do desempenho do projeto e da empresa, até ao máximo de 50% do incentivo reembolsável concedido, se ultrapassados os resultados contratualizados para o projeto.

A taxa base de incentivo a atribuir às despesas elegíveis apuradas é de 35%, à qual poderão acrescer algumas majorações, até ao limite de 75%.

No que se refere às despesas com formação profissional, o incentivo é não reembolsável, à taxa de 50% para as não PME, e 70% para as PME.

Projetos Financiados Portugal 2020 Sistema de Incentivo Empreendedorismo

SI Empreendedorismo e Emprego (SI2E) tem como objetivo principal estimular o surgimento de iniciativas empresariais e a criação de emprego em territórios de baixa densidade e por essa via promover o desenvolvimento e a coesão económica e social do país.

São passíveis de financiamento do SI2E as seguintes tipologias de operações

    • Criação de micro e pequenas empresas ou expansão ou modernização de micro e pequenas empresas criadas há menos de cinco anos;
    • Expansão ou modernização de micro e pequenas empresas criadas há mais de cinco anos.

Principais Investimentos Elegíveis

    • Máquinas e equipamentos respetiva instalação e transporte
    • Equipamentos informáticos, incluindo software
    • Software standard ou desenvolvido especificamente para a atividade da empresa
    • Participação em feiras e exposições no exterior
    • Aluguer, construção e funcionamento de stand
    • Serviços de arquitetura e engenharia
    • Estudos, diagnósticos, auditorias, planos de marketing e projetos de arquitetura
    • Obras de remodelação ou adaptação
    • Material circulante conexo com a atividade
    • Custos de conceção e registo associados à criação de novas marcas ou coleções
    • Custos iniciais associados à domiciliação e subscrição inicial de aplicações
    • Criação e publicação inicial de novos conteúdos eletrónicos, bem como a inclusão ou catalogação em diretórios ou motores de busca;
    • Despesas com remuneração de postos de trabalho.

Natureza, limites e taxas de incentivo

O incentivo a conceder assume a forma de incentivo não reembolsável com apoio entre 30 e 40% do investimento dependo da localização, sendo que este valor pode ser majorado em 20% dependendo do aviso de abertura.

Apoio por posto de trabalho criado: até 15 meses (ou 18 meses para territórios baixa densidade). Limite por mês: 1 IAS.

vales

Os Vales Simplificados são um sistema de incentivos destinados a PME’s que pretendam adquirir serviços de consultoria junto de uma entidade acreditada pelo Portugal 2020.

vale indústria 4.0

Excelente oportunidade de acompanhar a “4ª revolução industrial” e alavancar a sua organização para o mundo digital!

vale comércio

Como é sabido, o mercado online tem cada vez mais adeptos e assume a cada dia uma importância maior na vida das empresas.

vale empreendedorismo

Este é um vale desenvolvido para apoiar todos os que olham diretamente para o futuro e veem uma oportunidade de crescer.

vale internacionalização

Hoje em dia, todas as empresas devem ter a internacionalização dos seus produtos ou serviços no horizonte.

Trata-se de uma forma de acesso simplificada, a uma taxa de incentivo não reembolsável de 75%, destinando-se exclusivamente à aquisição de serviços especializados de consultoria incremental não recorrente na empresa, nas seguintes áreas:

vales simplificados

Seguindo a direção dos princípios da indústria 4.0, o “Vale Indústria 4.0” pretende promover a definição de estratégias tecnológicas apropriadas a cada empresa, olhando sempre à melhoria na competitividade da organização.

É objetivo desta medida a adoção de sistemas tecnológicos que permitam alterações nos sistemas de gestão das PME como por exemplo:

    • Desenho e implementação de estratégias aplicadas a canais digitais para gestão de mercados, canais, produtos ou segmentos de cliente
    • User-Centered Design (UX): desenho, implementação e otimização de estratégias digitais centradas na experiência do cliente que maximizem a respetiva atração, interação e conversão;
    • Desenho, implementação, otimização de plataformas de Web Content Management (WCM), Campaign Management, Customer Relationship Management e E-Commerce
    • Inscrição e otimização da presença em marketplaces eletrónicos
    • Search Engine Optimization (SEO) e Search Engine Advertising (SEA): melhoria da presença e ranking dos sítios de comércio eletrónico nos resultados da pesquisa em motores de busca por palavras-chave relevantes para a notoriedade e tráfego de cada sítio
    • Social Media Marketing: Desenho, implementação e otimização da presença e interação com clientes via redes sociais
    • Content Marketing: criação e distribuição de conteúdos digitais (texto curto, texto longo, imagens, animações ou vídeos) dirigidos a captar a atenção e atrair os clientes-alvo para as ofertas comercializadas pela empresa
    • Display Advertising: colocação de anúncios à oferta da empresa em sítios de terceiros, incluindo páginas de resultados de motor de busca
    • Mobile Marketing: tradução das estratégias inscritas nos pontos anteriores para visualização e interação de clientes em dispositivos móveis, nomeadamente smartphones e tablets
    • Web Analytics: recolha, tratamento, análise e visualização de grandes volumes de dados gerados a partir da navegação e interação de clientes em ambiente digital por forma a identificar padrões, correlações e conhecimento relevante que robusteçam os processos de gestão e tomada de decisão.

O incentivo máximo que pode ser concedido a cada Vale é de 7.500€.

Podem beneficiar desta medida as PME de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica.

Todas as especificidades do “Vale Indústria 4.0” podem ser consultadas nos artigos 40o ao 58o da Portaria no. 57-A/2015, de 27 de fevereiro.

Os objetivos principais deste “vale” consistem no reforço da capacidade empresarial de micro, pequenas e médias empresas dos setores do comércio, restauração e serviços. E que tenham como objetivo a dinamização da economia da região em que se inserem, aumentar o conhecimento de mercados e promover a sustentabilidade dos negócios em causa.

Assim, são suscetíveis de apoio os serviços de consultoria nas seguintes áreas:

Inovação organizacional e gestão

    • Estudos sobre modelos de negócio que contemplem a inovação da cadeia de valor dos produtos e serviços endógenos, valorizando o património cultural, etnográfico e gastronómico
    • Estudos sobre modelos de organização do trabalho que se suportem no quadro da economia circular e da eficiência dos recursos energéticos
    • Desenvolvimento de estratégia de atendimento e fidelização de clientes, com base em estudos do comportamento do cliente
    • Apoio na definição e otimização de soluções de logística e distribuição, incluindo no âmbito de processos de desenvolvimento e implementação de modelos de e-commerce.

Criação de marcas e design

    • Estudos de design e arquitetura para a otimização e atratividade do espaço comercial (loja, showroom)
    • Estudos de identidade gráfica para o estabelecimento/produto
    • Projetos de registo de marcas, incluindo a criação de marcas próprias ao nível do produto e da empresa, novas coleções e melhoria das capacidades de design.

Qualidade

    • Implementação de sistemas de certificação de qualidade de negócios, produtos e serviços, bem como de sistemas de gestão pela qualidade total
    • Implementação de práticas de gestão segura de dados.

Economia Digital e TIC

    • Desenvolvimento da presença web, incluindo websites, lojas online, plataformas de e-commerce nacionais e internacionais e redes sociais, através: i) da conceção de conteúdos digitais (content marketing); ii) da recolha, do tratamento, da análise e da visualização dos volumes de dados gerados a partir da navegação e interação de clientes em ambiente digital (web analytics); e iii) da utilização de ferramentas de promoção digitais
    • Serviços de certificação de site e lojas online
    • Digitalização dos modelos de negócio e a desmaterialização de processos com clientes e fornecedores, designadamente por via de sistemas de gestão integrados
    • Desenho de soluções para a gestão e conciliação automática de pagamentos com expansão das modalidades de pagamento.

O incentivo máximo a ser concedido é de 5.000€.

Podem beneficiar desta medida as PME de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica.

É objetivo deste “vale” a concessão de apoios a projetos de empresas na área do empreendedorismo, com menos de 2 anos.

O incentivo para este tipo de vale tem definido um máximo de 20.000€

São apoiados por esta medida os projetos que:

    • Pretendam adquirir serviços de consultoria na área do empreendedorismo;
    • De construção de planos de negócio, consultoria na área de economia digital inclusive;
    • Que implementem serviços de tecnologia alta ou média-alta.

Relativamente aos beneficiários deste “Vale Empreendedorismo”, constituem este grupo todas as PME, de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica, que cumpram com os seguintes requisitos:

    • Não ter outras candidaturas aprovadas na tipologia de investimento “Empreendedorismo Qualificado e Criativo” ou “Inovação Produtiva”

Podem beneficiar desta medida as PME de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica.

O “Vale Internacionalização” pretende apoiar projetos que visem a expansão e prospeção em mercados externos, de PME que não tenham ainda iniciado esse processo, ou, caso este já tenha sido iniciado, que não registe atividade de exportação nos últimos 12 meses relativamente à data de entrega da candidatura ao vale.

Este vale tem o valor unitário de 10.000€, sendo 5.000€ destinados à componente de diagnóstico de oportunidades e os restantes 5.000€ para a componente de assistência técnica para implementação de recomendações a curto prazo

Os projetos apoiados por esta medida devem:

    • Corresponder a uma empresa com pelo menos 3 postos de trabalho criados, já existentes aquando da entrega da candidatura
    • Ter capacidade nas suas instalações para que seja promovido o desenvolvimento de atividades comerciais “além fronteiras”
    • Não ter outras candidaturas aprovadas na categoria “Internacionalização das PME”

Os beneficiários dos apoios previstos são PME de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica.

Vamos conversar?
vamos!